Artigos

Amyi: o perfume para além da pirâmide olfativa

Copyright © da imagem: divulgação

Da abertura da economia no Brasil, nos anos 1990, aos digital influencers do final dos anos 2010, o acesso a informações sobre os perfumes que encontramos nas prateleiras das lojas, físicas ou on-line, mudou bastante.

Hoje, temos um sem número de resenhistas de perfumes e entusiastas da perfumaria espalhados por todas as redes e mídias sociais nos bombardeando com informações sobre perfumes. Muitas dessas informações vêm das pirâmides olfativas encontradas em sites e fóruns como Fragrantica e Basenotes, ou divulgadas pelas próprias marcas.

O ponto é que, por exemplo, a gente não encontra Hedione (Methyl Dihydrojasmonate) no garden center da cidade, ou no jardim da dona Clotilde. A bergamota da perfumaria não é a mexerica que a gente compra no hortifruti, ou rouba do quintal do seu Juca. O cassis utilizado na formulação de perfumes não cheira a doce como a groselha vitaminada Milani da infância de muitos, e que ainda tem lá na vendinha dos Irmãos Lopes.

Se colocarmos em perspectiva, a vasta quantidade de resenhas baseadas apenas em pirâmides olfativas pode acabar mais confundido do que contribuindo na ilustração olfativa que tentamos desenhar. Isso porque a quase totalidade de nós não tem a referência/conhecimento dos odores da maior parte dos óleos essenciais (naturais) ou aromáticos (sintetizados em laboratório) que compõem as fragrâncias dos perfumes.

Nesse sentido, aspectos como cor, textura, sentimentos, e emoções, relacionados às fragrâncias podem acabar nos ajudando com maior eficácia na escolha de um perfume.

E é sobre isso o que eu quero falar hoje, sobre o perfume para além da pirâmide olfativa, quando cores, texturas, e emoções nos tocam a despeito das notas de saída, corpo e base. Quero falar da Experiência Amyi, uma jornada olfativa!

Recentemente, a Amyi, uma nova marca nacional de perfumaria indie – lançada no final de 2019 – ganhou os holofotes por ser a primeira finalista brasileira a concorrer ao The Art and Olfaction Awards*, na categoria “Perfumaria Independente”, com o excelente Amyi VIII, criado pelo perfumista Samuel Moraes. Entusiasmada, a comunidade de amantes dos perfumes, em especial a dos grupos de Facebook, correu atrás de garantir o seu exemplar.

Contudo, a inegável qualidade de seus perfumes, ou o hype em torno da fragrância finalista de uma premiação importante dentro do metiê internacional de perfumes artesanais, me parecem pouco frente à proposição da Amyi em auxiliar o consumidor de perfumes a compreender os sentimentos despertados a partir dos perfumes da marca por meio de uma experiência baseada em técnicas de PNL (programação neurolinguística).

A jornada proposta pela Amyi se baseia em identificar nas nove fragrâncias criadas pela marca aspectos como textura, por exemplo. A princípio, isso pode parecer algo inócuo ou sem sentido mas, acredite, é muito mais efetivo do que saber, por exemplo, que há heliotrópio no corpo – uma das etapas de evolução/evaporação da fragrância na pele – do perfume.

A Amyi faz o que toda marca de perfume faz, apresenta o storytelling de cada um de seus perfumes, divulga a pirâmide olfativa, indica o tempo médio de duração na pele, apresenta seus perfumistas para comentar suas criações, enfim, faz o feijão com arroz do marketing de perfumaria. 

Além disso tudo, com o oferecimento da Experiência Amyi, proporciona ao consumidor uma espécie de libertação, de salvo-contudo para que mesmo sem saber que cheiro tem o syringa (lilás), a fava tonka, a “camurça branca”, ou o bálsamo-de-tolu, ele identifique as sensações, as emoções que suas fragrâncias despertam e se sinta confiante e seguro em adquirir qualquer uma delas.

E esse é outro diferencial da marca: ao adquirir a Experiência Amyi, você recebe miniatura de todas os nove perfumes disponíveis, completa a jornada olfativa, analisando cada um deles com o auxílio de perguntas direcionadas num ambiente reservado do site, e só então escolhe qual dos nove perfumes quer o frasco regular com 100ml. Outra coisa que eu quero destacar é o fornecimento de fitas olfativas como suplemento da experiência. Como é um meio neutro, livre de óleos naturais do corpo humano, calor, e outras interferências, as fitas olfativas possibilitam uma análise mais próxima do cheiro “real” do perfume. Esse acompanhamento das fragrâncias em meio neutro possibilita que a gente perceba com maior nitidez a interferência da nossa pele na composição final dos perfumes, de todos os perfumes!

Desde quando eu soube da Amyi, no início deste ano (2020), e tive a oportunidade de participar de uma de suas reuniões de apresentação da marca, fiquei encantado com a proposta. Quando posteriormente eles me enviaram o material para que eu pudesse vivenciar e analisar toda a jornada da Experiência Amyi, aquele encantamento inicial se consolidou em respeito, gratidão, e, sobretudo, orgulho por uma marca brasileira ter criado algo realmente inovador na relação com o consumidor.

Não vou relatar a minha análise pessoal de cada um dos perfumes Amyi porque realmente acredito que valha a pena participar da Experiência Amyi, e quero incentivar você nesse sentido. Estou certo de que o aprendizado contribuirá na forma como você passará a escolher todos os seus próximos perfumes. A propósito, concluída a minha jornada pessoal, o escolhido foi o Amyi III, um amadeirado oriental construído pela perfumista Sandra Casagrande.

No mais, no próximo dia 17 (17/set-2020), serão anunciados os vencedores de todas as quatro categorias do The Art and Olfaction Awards. Acompanhe em www.artandolfactionawards.org e, claro, torça por nosso representante brasileiro!

A propósito, amanhã, dia 27/ago-2020, às 19h, o expert em perfumes, Fábio Navarro, apresentará em seu canal no Youtube, Um Beijo Perfumado, um live com Saskia Wilson-Brown, fundadora e diretora executiva do Institute for Art and Olfaction. Acompanhe!

The Art and Olfaction Awards é uma premiação internacional sem fins lucrativos projetada para celebrar a excelência em perfumaria (artesanal, experimental e independente) e arte olfativa por meio de uma competição anual, com julgamento “às cegas”.

Os produtos objeto de comentário, análise, ou avaliação neste texto não foram subsidiados por quaisquer marca, empresa ou terceiros, tendo sido adquiridos com recursos próprios pelo autor – ressalvadas exceções devidamente apontadas no texto, quando for o caso. Assim, o texto representa a opinião pessoal do autor, sem qualquer vício ou interesses outros que não o da informação per se. Copyright do texto e imagem © Esper Leon. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste texto, ou imagem/foto, pode ser reproduzida, armazenada, ou transmitida de alguma forma ou por algum meio, seja eletrônico ou mecânico, inclusive fotocópia e gravação, ou por qualquer outro sistema de informação, sem a prévia autorização por escrito do autor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s